A perseguição religiosa aos cristãos na China possui características muito abrangentes, como a doutrinação ideológica nas salas de aula, uma vez que as escolas são controladas pelo governo, comandado pelo único partido existente no país, o Partido Comunista Chinês.

A doutrinação marxista proíbe, por exemplo, que os professores falem sobre qualquer tipo de religião na sala de aula, forçando-os a negar a própria fé. Os profissionais cristãos, por exemplo, não podem falar de Jesus Cristo, mesmo se tratando de uma figura história.